Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2008

A história por detrás da pintura de Sam Abercromby



Quando eu ainda não tinha carta de condução e fazia viagens frequentes a Abrantes de comboio viajava muitas vezes nos Interregionais, que tinham (não sei se ainda têm) aqueles compartimentos fechados, a fazer lembrar os comboios do far-west americano. Foi numa dessas viagens que conheci o simpático australiano Sam Abercromby. Esta longe de pensar que um dia ia contar isto num blogue. Sam é um senhor. Conversámos em inglês, e no fim até me deu um cartãozinho de visita que já não consigo localizar.
Não está na sua nota biográfica, mas Sam contou-me que teve formação em arquitectura e, após um avistamento daquilo que identifica como um OVNI, passou a ver o mundo de uma forma menos linear. Começou a pintar.
A sua pintura reflecte precisamente essa visão menos linear da realidade, um amontuar de formas e texturas dispersas.

A Exposição de Pintura de Sam Abercromby está na Galeria de Arte do Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha. De 25 Janeiro a 23 Fevereiro.

Horário:
Seg. a Sex.: 9h às 12h30, 14h às 17h30
Sáb.: 15h às 18h

Sam Abercromby nasceu na Austrália em 1947 a 10 de Junho (dia de Portugal). Talvez por isso, e depois de correr mundo, a paixão pelo nosso país radicou-o em 1986 na aldeia de Vila do Paço, onde mora e tem atelier.
Sam Abercromby sempre sentiu um apelo muito especial pelas artes. Para além da pintura, imaginou ser pianista, um  sonho antes de abraçar em definitivo as artes, frequentando o “Western Australian Institute.
Sente Portugal como a sua casa. Da sua terra natal relembra  os amigos, o reconhecimento do seu trabalho e a memória de ter exposto nas melhores galerias do País.
Por cá a sua carreira tem sido pautada com sucesso, mas maior tem sido o seu poder criativo, originando fases diversas dentro de um todo  que é a sua pintura, uma mística quase “religiosa”. Quando questionado acerca do seu processo criativo, Sam diz, um pouco a brincar: “Tal como eu não quero saber todos os pormenores íntimos de uma namorada, também não quero quebrar a magia acerca dessa misteriosa Dama que é para mim a pintura.
Esta exposição“ quase retrospectiva”  é só uma pequena mas significativa mostra do seu trabalho desde que chegou a Portugal… mais um sitio no mundo onde Sam criou obra e a consolidou, porque ao que parece, veio para ficar…
música: a reencontro
publicado por ocheirodesantarem às 12:35
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. A história por detrás da ...

.arquivos

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds